BRAZIL


Comungo com as dores
De um Brasil dilacerado
Pela maldade e violência,
Vítima da incompetência
De um estado derrotado
Pelas garras da corrupção...

E... O roubo correndo solto, pelo buraco do “ladrão”...

Dizem que juiz vende sentença...
E o homem, assim, fica sem crença,
Nas nossas instituições...
Só se fala em impunidade,
Onde está a responsabilidade?
O povo quer explicação...

E... O roubo correndo solto, pelo buraco do “ladrão”...

Fazem tudo, acintosamente,
E o povo, com medo se cala,
Pode ser que o trem-bala
Seja a nossa solução,
Neste mundo desleal,
De tamanha confusão.

E... O roubo correndo solto, pelo buraco do ladrão...

Se não surgir a solução
Para esse atroz problema,
A saída é fazer como a ema
Sair correndo no mato,
Engolir ratos e lagartos,
E pedir a Deus Proteção.

E... O roubo correndo solto, pelo buraco do “ladrão”...

(Tarcisio Costa)



Inicial
Poemas de A-E