CANTIGAS DE AMOR

Por ordem do rei, eu seguia
A cantar modinhas de amor,
Cantigas de amigos, cantigas de dor!
Assim, solitário, eu vivia.

Minha amada me esperava
Para ouvir o meu violão,
Para atender ao meu coração,
Ele emitia sons de amor.

Procurava e não via as estrelas,
Triste, eu olhava para o céu,
Eu era um apaixonado menestrel,
A cantar modinhas de amor.

A solução para aliviar a minha dor,
Foi transformar-me em um menestrel,
E sair pelo mundo, ao léu,
A cantar cantigas de amor!


(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de A-E