CARÊNCIA

Um canto de lamento,
Uma dor da alma,
Falta o fermento do amor...
Essa impaciência
Consome minha calma.

Sinto-me derrotado
Pela carência,
O que me diz aquele olhar,
Quando olha para mim?
Vejo nele só indecisão,
Que confunde a minha mente.

Mas,
se for para viver assim,
Na incompletude de um carente,
Prefiro o silêncio do mosteiro
Ou o refúgio do vencido...
Onde é permitido
O silêncio da solidão.

É a aceitação silente
De um viver de dor,
Sem amor,
Um sofrer carente.

(Tarcisio Costa)

Inicial
Poemas de A-E