CIÚME

A beleza do teu olhar.
O teu sorriso encantador,
Dão-me o desejo de te amar,
De ter o teu amor...

Mas, não sei as razões
De não se unirem, perenemente,
Os nossos corações!

Já tentamos, insistentemente,
Você me diz: eu te amo,
Eu digo: eu te amo, igualmente
Por teu amor até clamo!

Mas tudo se dilui em incertezas
E em precipitadas decisões, quase
Sempre com más surpresas.

Eu te quero um bem imensurável,
E você me chama de meu amor,
Teu ciúme é deveras insuportável,
Para nós, o carrasco executor.

O ciume é um mal incurável,
Os seus pensamentos não têm piedade,
Vivem de costas para a verdade...

Esse é o motivo do desequilíbrio
Que obsta os nossso sonhos e anseios,
Daí nascem a desconfiança e o ludíbrio
Que levam ao amor um bloqueio.

Mas, às vezes, o amor tudo supera,
Na esperança de uma doce solução,
Assim é um viver de ida e de espera
Para acalento dos sofridos corações.


(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas DE a-e