CONFUSÃO MENTAL

Sou um ausente
Com manias sem lógica,
Sem princípios ou fins definidos,
Uma mácula confunde as cores,
Olho e só vejo nuvens no céu
É coisa de quem vive ao léu,
Vago pelas nuvens efêmeras,
Vejo lá embaixo o abismo,
Desço no mar de avião,
Dizem que o tubarão
Vive na escuridão
Lá do abissal...
Mas, não sei não,
Parece que estou mal,
A viver uma amarga ilusão,
Viu, que tamanha confusão!
Vivo a falar coisas sem nexo,
Não fique, assim tão perplexo...
Aceite-me essa minha fantasia,
Tento, me envolver na poesia,
Falta-me um bonito adjetivo,
Tudo o que surge é subjetivo,
Tenho muito medo de cair
Nesse ambiente confuso,
Não sou um parafuso.
Não sei, dessa sair.
Por isso, paro aqui.

(Tarcisio Costa)

Inicial
Poemas de A a E