CONTINUO A SONHAR

Caminhei nos meus sonhos, em nuvens pairei...
Quis amar perdidamente, mas senti desilusão.
Agora, vejo mortas todas as minhas quimeras...
Vivo entre dúvidas do meu inconsciente,
Lembrando as minhas primaveras...

As flores simbolizam as minhas fantasias.
Caminho sem cessar, rumo ao desconhecido,
Restam-me as esperanças, de nova realidade,
Sonho com a volta do meu amor, enternecido,
Acompanha-me a dor da saudade...

O tempo me foi injusto... inclemente.
Ficou com os meus sonhos e as as minhas ilusões...
Bebo o licor da paixão, para inebriar minh’alma triste,
Ando à procura de uma vida de amor iridescente
Quero, assim, ressuscitar o meu amor perdido

(Tarcisio Costa)

Inicial
Poemas de A a E