CONVULSÃO

O passado se foi... estou sob a ameaça da solidão,
Lá, atrás, ficaram as minhas ansiedades,
As minhas conquistas e fragilidades...
Agora, vivo a incompletude... a escuridão.

Não gosto de o meu passado rememorar,
Nele desfilaram sonhos, alegrias e desilusões,
Estou diante do remanescente das decepções,
Como se eu não tivesse mais o direito de amar...

Passei mil momentos repletos de ilusões
Vivi o brilho das manhãs coloridas d'esperanças,
Mas, tive a penumbra das dúvidas do entardecer,
Prenúncio, quantas vezes, de frustrações...

Tive quantas paixões, quantos amores,
Que me trouxeram sonhos dourados,
Mas, também, muitas dores...

Hoje, procuro fazer uma avaliação.
Abre-se uma porta, ela é o hoje, ainda indefinido,
Mexo e remexo, nos meus projetos e ideais
Para tentar reacender o amor no meu coração...

Gostaria de eliminar esse pessimismo sem cor,
E ver no hoje, o ressuscitar dos meus sonhos
E sentir a companhia da felicidade
Em novos momentos de amor...

(Tarcisio Costa)

Inicial
Poemas de A a E