DANÇA COMIGO

Ao som de música cadenciada,
Qual plumas a adejar ao vento,
Deslizo no salão iluminado,
No afago dos teus braços,
Na luz morna do luar...

O perfume da tua pele
Leva-me à embriaguês da paixão,
Encontram-se os nossos corações,
Qual enamorados cheios de ilusão,
Sinto-me num imaginário paraíso.

E continua...
O exercício sagrado do amor...
De olhos cerrados vou pelo salão,
Penso no amanhã de saudades
Deste momento de paixão.

Olho o teu rosto,
Suavemente pego na tua mão,
Pulsa forte o meu feliz coração.

Mas, abate-me uma leve tristeza,
Imagino na possível incerteza,
De ser mantido o nosso amor,

Peço Nosso Senhor,
A sua benção...
Mas, seja lá como for,
Nem que seja, num sonho platônico,
Não deixarei de te amar.

(Tarcisio Costa)

Inicial
Poemas de A-E