DIA DA INDEPENDÊNCIA

Em vinte e um de abril de 1792, foi executado
na forca e em seguida esquartejado o Alferes
Joaquim José da Silva Xavier (O Tiradentes),
homem obstinado, um visionário que transformara
Brasil colônia numa imensa seara e nela plantara
a semente do seu ideal, visando,
para o Brasil, a conquista da sua emancipação
política, a instalação da república, a abolição da
escravatura e a liberdade do seu povo.
Trinta anos depois, em sete de setembro de 1822
a seara cultivada por Tiradentes produziria o seu
primeiro fruto, representado na transformação
da colônia numa nação independente, mediante
o grito da independência, liderado pelo
Príncipe Regente D.Pedro I.

Face a essas considerações, ao invés de escrever
sobre os acontecimentos de 7 de setembro 1822,
às margens do riacho do Ipiranga, prefiro render
a minha homenagem ao plantador de sonhos, àquele que
cultivou o ideal da independência, sacrificando
a própria vida, Joaquim José da Silva Xavier,
o Tiradentes, considerado
como o Mártir da Independência.

Que, neste sete de setembro, cada brasileiro
acenda no seu coração a chama do patriotismo,
se orgulhe de ser brasileiro e, dentro do
limite de cada um, contribua para a continuação
da luta pelas conquistas de tantos objetivos,
indispensáveis à consolidação da nossa emancipação,
não só política, como econômica, financeira e social.


(Tarcisio Costa)



Inicial

Crônicas