DIVAGANDO

Divago pelo desconhecido,
Olho para o horizonte...
Sinto uma angústia... Tenho sede.
Procuro a fonte da sabedoria.
Para amenizar minha vida,

Minha agonia... mas, não encontro...

Prossigo o meu vaguear ao léu,
Olho para cima... Mas, o céu
Não esclarece as minhas dúvidas...
Volto para o meu interior,
Divago na ilusão...

Procuro no meu coração,
Lembro do meu amor
Que se perdeu no tempo.
Sinto dor...

Não adianta...

Fico sem resposta,
Não encontro

A quem fazer uma proposta...
Para me dar uma orientação.

Só encontro no meu divagar
Curvas... desníveis... atalhos...
Paro no silêncio taciturno.

Desisto da caminhada...
O destino é obscuro.

(Tarcisio Costa)

Inicial
Poemas de A a E