ANSIEDADE
Tarcísio R. Costa


Vivo cheio de dúvidas,
Confundem-se os meus pensamentos,
Misturam-se os meus sentimentos,
Cria-se em mim, uma convulsão.


Tudo se transforma em emoção,
Desequilibra-se a minha mente
Meu viver se torna inconseqüente
Confundo o real com a ilusão.

Vejo nuvens escuras, sem rumo.
Tudo isso para mim é indiferente,
Preocupo-me, sim, com a distância,
Que me separa dos meus sonhos.

Fico a avaliar o meu passado,
Vivo, assim, em um mundo de ansiedade,
Procuro, incessantemente, a verdade,
Para ver renascer em mim a esperança.

**************************************************

CURANDO ANSIEDADE
Eri


Em tempo de ansiedade
Que fere, que mata a alma
Que nos deixa bem à deriva
Das coisas boas da vida
E que nos reduz a calma
Há que buscar com esforço,
Com persistência e vontade
Em algum amigo, um reforço,
Em quem se ama, um abraço.

Um viajar mesmo perto
Uma boa leitura de fato
Banho frio prá ficar esperto
Um andar descompromissado
Natureza apreciar
Uma piada ouvir
E junto a uma criancinha
Deixar-se descontrair

Pés descalços na areia
Uma música a tocar
Quem sabe uma xícara de chá
Ajuda e a mente clareia
Prá só boas coisas lembrar...

Ter um momento, um cantinho
Prá conversar bem baixinho
Ao Deus do seu coração
Dizer prá Ele obrigado
Sentindo-se agradecido
É um remédio bendito
Em forma de oração

E aquela confusão
Que faz do interior um vulcão
Vai cedendo lentamente
E os torvelinhos da mente
Antes em ebulição
Vão se desfazendo aos pouquinhos
Buscando um novo caminho
Lógico e mais ordenado
E aquela ansiedade
Tão malvada, na verdade
Agora tem outro nome
Senhora Felicidade

Duetos
Inicial