Ilusão II
Míriam Torres.

Crescemos
Mas devemos nos considerar
Adultos?

Tentamos ser felizes
Nos reencontrar

Estamos perdidos
Jamais vamos nos achar

Estou magoada
Em saber que o tempo passou
Não me esperou
Apenas maltratou

Deixei de ser criança
Mas ainda sou imatura
Perdendo a esperança
E toda minha doçura

Os espinhos rasgaram minhas mãos
As espinhas deixaram marcas em meu rosto
Hoje choro a dor de ontem
Mas ainda trago no peito
O peso desse desgosto

Tentei sobreviver
Arrastando por mais tempo
esse sufoco

O tempo massacrou
o que seria eterno

O amor?
O vento trouxe
O vento levou...

Restaram:
Desamor
Ilusão
Lágrimas
Muitas lágrimas

Eu e você:
Fomos enganados pelo tempo
Que não poupando nosso sofrimento
Mentiu o tempo todo
Estivemos adormecidos
E hoje vivemos a realidade de que
NOSSA HISTÓRIA ACABOU...

[*Inspirado em
IMATUROS - Líria Porto]

****************************

Desilusão
Tarcísio R. Costa

A vida é uma sucessão
De atos inconseqüentes...

Não sei avaliar a distância
Do meu tempo de infância,
Que o passado me furtou...
O que eu tinha de melhor
Ficou perdido no horizonte,
Das minhas desilusões...

Ficou em minha companhia
Uma cortina fechada... A nostalgia.
Agora, estou escrevendo essa poesia
Com a tinta das minhas decepções...
Vivo mergulhado num mundo de ilusão.
Balança como um pêndulo meu coração,
É nessa cruel e insuportável realidade,
Que se abriga a dor da minha saudade.
Invade-me, assim, profunda dor...
Viver assim! Quanta maldade!
Onde está meu amor?
Quero me libertar
Dessa triste
verdade.


Duetos
Inicial