POETA
Mônica Freitas

O poeta é aquele que vê
O que as outras pessoas não vêm;
É aquele que escreve
O que as outras pessoas não dizem
É aquele que diz o que não queria dizer
Que lembra ás pessoas o que elas
Gostariam de esquecer.
O poeta é aquele que dá ás palavras
Uma dimensão maior...
O poeta é um palhaço que brincou
tanto com a vida,
Que acabou rindo dela e, gargalhando
de si mesmo
Terminou achando uma enorme
graça no ridículo
E na mediocridade do ser humano...
O poeta é louco
Que se faz passar por artista.
O poeta veio de longe,mora distante
de tudo e vive
Tão longe de si e tão longe de tudo,
até que um dia
Ele se acha tão distante que se
aproxima demais dos outros...
Vive para a poesia e se esquece de si...
O poeta não tem espaço, nem tempo.
Vive a esmo, no compasso da vida,
no esquecimento
Dos momentos,na loucura incontida
entre as palavras
Que se buscam como mãos que se procuram
Para rimar a dor e a flor...
O poeta é um palhaço.
Que se retira do circo para chorar
o riso que não riu,
Que se mascara para fazer compreender
O sentido maior de tudo que não se vê...
O poeta é um louco...
Que vislumbra batalhas,
que conversa com o vento,
Que entende o diálogo secreto das flores
A música no silêncio...
O poeta é um louco.
Só sua loucura é que se faz canção.

**********************************
SER POETA
Tarcísio R. Costa

Ser poeta...
É ser eterno escravo da emoção,
É conviver em um mundo irreal,
É confundir o real com a ilusão,
É olhar para a lua e para as estrelas
É contemplá-las com os olhos do coração.

É sonhar com o horizonte distante,
É parar diante de uma simples borboleta,
É ouvir as estrelas nas suas noites insones,
É pedir para as nuvens levar as suas tristezas,
É ter no peito, um sensível coração...

É ver o mar, e pensar em um barco distante,
É ter uma vida mesclada de sonhos e anseios,
É viver o mundo que imperam os devaneios,
É escrever versos sem o uso da razão
É valorizar coisas sem nexo.

É ter como companheira a saudade,
É preocupar-se com o amor, é sonhar acordado,
É ser durante a vida de um eterno apaixonado,
É sorri com olhos, é chorar com o coração,
É fugir dos princípios da verdade.

É considerar o amor, um mal sem cura,
É ser capaz de chorar ao ouvir uma canção,
É confundir a coerência com a loucura
É escrever um poema inconseqüente,
E viver sob o domínio da emoção.


Duetos
Inicial