CONTEMPLO O MAR...
Tarcísio R. Costa

Contemplo o mar...
Vejo o mar... Uma imensidão sagrada
De um mundo de dúvidas e de contrastes,
Que me amedronta, mas me embevece e me encanta,
Fonte de inspiração, de tantas poesias...

Contemplo o mar...
À procura do meu amor que partiu
Em um barco triste, de sonhos,
Levando as minhas ilusões...

Contemplo o mar...
Diviso lá no distante infinito
Uma embarcação à deriva,
É o barco dos meus sonhos...

Contemplo o mar...
Se o meu amor não voltar,
Embarcarei noutro barco,
Carregado de esperança,
Rumo ao horizonte do mar.
Lá, resgatarei o meu amor perdido...

**************************

Imensidão do mar
Nadir D'Onofrio

Diante da imensidão do mar
Impossível, de ti não lembrar.
Esse encontro, predestinado acontecer
O tempo, paciente, aguardava.
Que o destino nos aproximasse...

Era um rosto de anjo?
Não... Havia algo de misterioso.
Um olhar enigmático,
Como se minha alma desvendasse.
E nua, meus segredos lhe entregasse!

O marulho das ondas
Nos nossos corpos brincando.
Algas que serpenteavam
Insistiam, em nos enlaçar.
Assustada, em você me agarrava...

Acalentados pelas Ondinas
Não percebemos o dia findar.
No céu, o negro manto da noite se abriu,
Estrelas como diamantes, fulguravam...
Nosso sono, foi assim embalado,
Pelos Deuses, fomos abençoados!


Duetos
Inicial