AROMA
Nadir D’Onofrio


Da laranjeira em flor,
da terra molhada, da rosa em botão.
Da grama cortada, do capim limão.
Lembranças que ativam as emoções,
trazendo recordações...

Da infância vivida, tempo feliz!
Natal esperado, cipreste cortado.
fogão a lenha, comida caseira!
Almoço natalício, sob o parreiral.
salada de frutas, cheiro da uva...

Infância passando,
adolescência chegando.
Essências diferenciadas...
aroma do vinho, Lança-Perfume,
feromônios no ar...

Cheiro e sabor da tua pele,
o perfume que você usava,
e eu tanto gostava!
Ao sentir, excitada eu ficava,
são tatuagens que o tempo deixou!

**************************************************

NA MINHA INFÂNCIA
Tarcísio R. Costa


Lembro da minha infância,
sinto uma nostalgia...
Hoje me falta aquela alegria
do passado - De tudo restou a distância.

Ouvia, lá no meu sertão,
o aboiar plangente dos vaqueiros
eles eram autênticos, verdadeiros,
Não sabiam o que era ilusão...

Os carros de bois no seu triste cantar
conduziam os meus sonhos adolescentes
com as minhas paixões incoerentes
eram só paixões, e louca ânsia de amar.

Tinha da minha mãe doce carinho,
Do meu pai um olhar protetor,
Sentia na minha casa o aroma de amor,
Como sinto saudade do meu ninho!

Era uma doce realidade,
Daquela vida do meu sertão,
hoje continua no meu coração,
daquele tempo, só a saudade.

Duetos
Inicial