O AMANHECER
Patrícia Montenegro


Quando chega a hora da noite partir,
A lua se despede para adormecer,
E as estrelas brilhantes se recolhem,
O céu pouco a pouco se torna mais claro,
Em um tom laranja azulado anunciando o amanhecer...
E nessa hora o milagre da vida é mais forte,
As montanhas estão mais delineadas e verdes,
A brisa fresca sopra devagarzinho acariciando os rostos,
As flores estão mais belas e vivas exalando seu doce perfume,
É possível se escutar o som suave das águas dos rios,
Em busca dos braços fortes das cachoeiras para desaguar,
E a bela canção do vai e vem das ondas do mar,
Que beijam a areia para o novo dia saudar,
Os pássaros cantam anunciando o novo amanhecer,
E em seu vôo tranqüilo e alegre deixam seus ninhos,
E com um novo colorido cruzam os ares,
As gaivotas de asas recortadas
bailam juntas num vôo cadenciado,
E logo surge o sol poderoso e pleno de energia,
Dizendo que é hora de recomeçar,
E logo a agitação toma conta das cidades,
Mas nada pode quebrar o encanto de cada novo amanhecer,
Anunciando que é hora de renascer,
E quando novamente anoitecer e o céu escurecer,
Receber novamente o céu pleno de estrelas,
E a lua que novamente desperta de seu sono,
Nos preparando para um novo amanhecer... **************************************************

NATUREZA
Tarcísio R. Costa


Observa com atenção a natureza...
À tua frente está a janela do mundo,
Verás flores perdidas pelo chão,
Verás nuvens tristes, sem beleza.

Vê os mistérios do horizonte...
Raios de sol refletem ilusão.
Olhares de caçadores de emoção,
Sentados na beira da fonte.

Pássaros cantam a beleza,
Folhas despencam dos galhos
O equilíbrio do mundo em harmonia,
Com matizes e os sons da natureza.

E a natureza se enche de encantos e sinergia,
Quando borboletas sugam o néctar das flores,
Numa relação de carinho, e de troca de amores,
Para perpetuação da espécie! quanta magia!

E a natureza se enche de encantos e sinergia,
Quando borboletas sugam o néctar das flores,
Numa relação de carinho, e de troca de amores
Para perpetuação da espécie! quanta magia!

E nós envoltos numa materialista e artificial visão,
Quase sempre entregues à crueza da insensibilidade
Não sabemos nos deliciar o sabor da naturalidade
Oferecida de graça ao nosso coração.

Mas, existem os poetas para se aterem à natureza,
Com palavras nascidas, muitas vezes, inconscientes,
Mas, sempre com sensibilidade e coerentes,
Para mostrar do universo a sua beleza.


Duetos de N a Z
Inicial