SEDE DE AMOR
Tarcísio R. Costa


Debruço-me sobre o meu mundo interior,
encontro lá, escombros de uma paixão!
Ai! como sofre o meu coração,
por falta de um amor!

A minha alma está desnorteada, sem rumo,
é o peso insuportável da falta de amor, a solidão...
Há um desequilíbrio, sinto-me sem prumo...
Como sofre o meu coração!

Mas, ainda bem, o amor poderá renascer...
Há no meu coração a presença da esperança,
no dia em que por ventura isso acontecer,
munir-me-ei de toda confiança.

É assim a vida de um apaixonado,
O meu um mundo é feito de encanto e sedução,
o meu desejo de amar nunca estará acabado,
é inesgotável o amor do meu coração.

**************************************************

MATA AMOR, SUA SEDE!
Raquel Caminha


Estou aqui juntando os escombros
da nossa paixão, não suporto saber
que por falta de comunicação
sofre dois corações.

A cada momento nossas vidas
ficam em desalinho, você sem prumo...
Eu sofrendo querendo curar nossas feridas,
mas me encontro também sem rumo!

Que alívio saber que o nosso amor poderá renascer...
Uma palavra apenas, e corro para seus braços.
e quando isso meu amor, acontecer,
tenha certeza sentirá que meu amor é de aço

Seremos para sempre dois apaixonados,
nosso mundo vai ser só encantamento,
nada de ilusão e nem assuntos inacabados,
vamos viver felizes em nosso apartamento

Duetos
Inicial