FOLHA EM BRANCO
Semida Canduro Rodesky

Em uma folha em branco
Eu leio o que penso
Medito, fico a matutar
Que pensamento chegou
Às minhas mãos
Que não consigo decifrar.

O branco da pureza
Bela letra indelével
Diria mesmo invisível
Cismo, mesmo com um
Texto de uma certa leveza

O que será que o amigo
Autor de belas poesias
Quis para mim
Em verso ou prosa
Afirmar neste texto
lindo e singelo?

**************************************************

PÁGINA EM BRANCO
Tarcísio R. Costa

Talvez, quisesses desabafar
Sentimentos reprimidos,
Dizer, que mais importante do que amar
É ter amor no coração...

Talvez, dizer-lhe que amo à natureza,
Que me encantam o canto dos passarinhos
Que me fascinam com a sua beleza
Que eles têm o som do carinho...

Que não devia haver espinhos...

Que não devia haver pedra no nosso caminho
Que amo as borboletas, elas parecem flores voando,
Que o mundo devia ser feito só de amor,
Assim, ao invés de dores teríamos carinhos...

Talvez, quisesses dizer que a mulher,
É o maior encanto da natureza,
Que é, por excelência, a obra prima do Criador
Podemos até compará-la a uma semideusa.

Que continue a brotar do seu coração
Lindos versos, lindas poesias
Que, tenham o encanto e a magia
Como se fossem uma oração.

*************************

PÁGINA EM BRANCO
Semida Canduro Rodesky

Muito lindo o escrito em resposta
Não sou poeta e nem escritora.
Gosto de jogar palavras no papel
Brincar de escrever sem pensar

Toda vez que penso no escrito
Leio, rasgo e jogo ao léu
Na cesta de papéis
Já foram parar um monte de escritos
E rascunhos manuscritos.

Versejados ou não
Histórias de amores perdidos
Que pelo caminho foram ficando
Esquecidos e amarelecidos
Pelo tempo que teima em não
Querer parar para que os recupere
Já que reescrever a história é impossível

Amores do passado e do presente
Juntos, aos pedaços ou separados,
São sempre lembranças adoráveis
São também a alegria enternecedora
De quem já viveu um grande amor


Duetos
Inicial