UM POEMA DE DÚVIDAS
Tarcísio R. Costa


Minha alma cansada
e o meu coração cheio de dúvidas,
carecem de desabafo...

Acredito que essa poesia
por ninguém interessa, ser lida.
Ela trata de uma revelação
de sentimento pessoal, interior,
embora no cerne, no âmago,
a origem seja o amor...

O poeta triste
é como um mal perfume,
traz desconforto ao ambiente...
Um mal-estar vem à lume,
qualquer um sente
o odor...

O que faz diferença no poeta,
é que ele escreve tudo que vem à mente,
por isso que fala tanto de saudade,
assim como fala do encanto, das belezas,
também não esconde
a sua tristeza...

Mas, quem não tem seus dissabores,
Quem não tem momentos de frustração,
Quem não chora as suas dores!
Quem não se sente incompreendido,
Quem não mergulha na incerteza,
Quem, na sua desilusão,
Não sente tristeza!

Uma luz pisca no horizonte da minha vida,
isso, acredito, pode ser a esperança...
Tudo é passageiro, até a própria vida,
desde a euforia das conquistas,
até, os momentos de incerteza,
quero incluir nessas alternâncias
a presença da minha tristeza...

Sem argumentos para esse poema, encerrar,
porque não tenho um motivo concreto
para justificar essa lamentação,
digo pra quem me lê, e isso é certo!
Tenho, como você,
Um coração!

**************************************************

DORES E ENCANTO DO POETA
Terê Penhabe


Estás enganado, poeta
quem colhe as flores, não se furta aos espinhos
e tu, exímio semeador, merece mãos que acolham
teus encantos e tuas dores.

Entender-te, é mais fácil do que imaginas
pois como dizia o grande mestre Quintana:
"Nossos poemas não passam de confissões"
mas nem todos confessam a verdade, como fazes.

Quantas propagações de amor imensurável
não passam tão somente de ledos enganos
talvez do coração, talvez da própria mente
perniciosa arma que combate a alma...

És mais poeta do que nunca, hoje
já que todos dizem que temos que ser tristes.
Eu recusei a comenda, leiloei meus versos
por cultivar em mim a alegria, o reverso.

Mas, como bem disse outro poeta algum dia
"quem me vê assim cantando..."
não sabe a dor que me vai na alma
não sabe a chaga que tenho na minha calma...

Por isso meu querido poeta, creia-me, és feliz!
A vida é bela enquanto o sonho não morreu
e esta luz que pisca no teu horizonte
prova que tens muito mais do que eu!

Duetos
Inicial