INSPIRAÇÃO PERDIDA
Vyrena

Anoitecia...
Olhei para o céu...
Salpicado de estrelas...
Para a lua que despontava
A ver se lá estava escondida
Minha inspiração perdida.

Nem sinal dela encontrei...
Desiludido... meu olhar entristeceu.
Voltei para a cama e sonhei:
Um sonho diferente...
Sentia-me diáfana...transparente
Só via minh´alma sorridente
De mãos dadas com a poesia...
Que surgiu, não sei de onde
E foi se concretizando
Em palavras coloridas...
Como se fosse um bordado...
Feito pelo pensamento.

Acordei
Transbordante de felicidade.
Abri a janela ... vi o sol que nascia
E... dentre seus raios brilhantes...
Aos poucos foi surgindo
Assim... meio sem jeito...
A inspiração que havia fugido.

Estendi os braços... chamei-a de volta..
Abraçamo-nos com carinho.
Aqui estamos... juntas...novamente
Liberando... em forma de poesia...
Sentimentos represados no peito.

**************************************************

SEM INSPIRAÇÃO
Tarcísio R Costa


Ao som de uma linda música instrumental,
Escrevo estas palavras, formando versos,
Às vezes com frases no sentido inverso,
Mas isso é permissível, é usual,
Para dar ritmo à poesia.

Sem tema, observo, atento, a natureza.
Estou, agora, no renascer de mais um dia.
O sol rasga a cortina do firmamento,
Fico absorto naquele momento,
Diante de tanta beleza.

Num arvoredo que se descortina em frente,
Está, ali o mundo com as suas lindas cores,
Que me faz rever meu passado de amores...
O som da natureza me deixa contente
Minimizando as minhas dores.

Não consigo elaborar os meus versos,
Ainda não consegui definir o tema,
Para que eu desenvolvesse o meu poema.
Já falei do amanhecer, da beleza das cores,
Fluíram, até, os meus antigos amores...

Parei, mergulhei numa profunda reflexão,
Fiquei pessimista, hoje não é o meu dia,
Sendo assim, tomei uma dura decisão,
Como não encontrei uma inspiração,
Desisto da minha sonhada poesia.

Duetos
Inicial