AUSÊNCIAS DE MIM
Zelisa Camargo

Ausências de mim
De ti
Do amor que não mais sei
Em que estrada o perdi.
Caminhos que se tornaram vazios
Lágrimas na calada da noite
Descendo lento e castigando
Esse coração alquebrado
De saudades de ti
Desse amor que é tudo,
Ainda presente,
Vivo e latejante
Que clama por ti
Pelo teu olhar que se perde
Cada dia mais na distancia do tempo
Gerando uma dor profunda n'alma.
E meu verbo fenece a cada momento
De ausência de ti
De mim
Do amor que é teu
Amada que nunca me pertenceu,
Mas o amor nada exige de ti,
Apenas tua voz longe
Na calada e solitária noite,
Nesse teu olhar da cor do mar,
Verdes como esmeraldas
Que ilumina minhas noites
Tão sonhadas e desejadas
De ti e tua presença que amo
Desejo e clamo.
O que fazer desse amor
Que não finda,
Que ganha proporções imensas
De ausências e uma solidão
Maior que minha capacidade
De aceitação.
E hoje, nesse calado da noite
Serena e chuvosa
Minhas lágrimas misturam
E chegam a ti
Amada de minha vida
Que nunca esquecerei
Enquanto aqui respirar.
És pra ti minha doce Perola
Da Existência
Esse meu pranto de dor,
De angústia,
Onde o peito rasga e dilacera
E saio como uma doidivana a correr
Pela madrugada em busca da lua
Onde possa te encontrar e poder
Dizer bem baixinho:
Te amo!

**************************************************

A TUA FALTA
Tarcísio R. Costa

Nas caladas mornas da noite,
Quando o silêncio é a minha companhia,
Sinto a presença triste da tua ausência,
É um doce momento, que em reflexão,
Recordo nossa convivência de amor...
Lágrimas brotam do meu coração.

Minhas mãos tocam o teu retrato,
Vejo os teus olhos olharem para mim,
Sinto meu triste coração bater acelerado...
Imagine, se não fosse numa fotografia
Seria uma emoção feita de alegria,
Eu te sentir ao meu lado.

Quando voltares algum dia,
Vou, num sedutor me transformar,
Quero nos teus olhos, com amor olhar,
Quero abandonar essa vida de fantasia...
Vou diagnosticar a tua alma... teu coração,
Quero teu amor reconquistar...

Quero trazer para o presente
Os momentos que enlevaram o nosso passado.
Sei que nem tudo está totalmente acabado...
O meu pensamento e o meu sonhar alcança
O alívio que sempre me dá a esperança,
De, ainda, permanecer ao teu lado.

Quando contigo, novamente, estiver,
Procurarei, como um hábil floricultor,
Que trata as suas rosas com tanto carinho,
Olhar com todo amor para o nosso ninho,
Para, assim, consolidar o nosso amor,
E eliminar qualquer desilusão.

Duetos
Inicial