É ISSO AI, BICHO!

Cavalgo nas nuvens
Olho os desertos
Sem oásis...

Vejo as pirâmides
Nelas o passado,
Fico calado
Na espreita...

Monto num camelo,
Não tem selim,
Vou no pelo.
Pode ser imaginação,
Não vejo sertão...
Penso no faraó,
Ele tinha o poder,
Ninguém quer ver...
Mirou múmia
Da maldição.

As pirâmides
Sacrificaram
escravizaram
Em benefício do rei
Compensou?
Pensei.
Eu sei,
Não!

É o turismo
sem altruismo,
Coisa de Louco!,
Não sou bobo,
Prefiro
Portugal
Lá tem portuguesas
cantando fado!
Falei tanto.

A gente se encontra
no Rio Nilo,
Perdi o medo
Da sereia
Falei tanto,
Não disse nada!
É isso aí, bicho!

(Tarcisio Costa)

Inicial
Poemas de a-E