ELEVAREI MEU GRITO

Nestes versos sem rima,
Elevarei, com angústia,
O meu grito a clamar os céus
Para não dispersarem as estrelas
Que, como gazelas nos prados,
Exornam o infinito...

Eu, tal qual um lunático
A sonhar o sonho do esteta,

Já que não sei se ainda
Sou aquele poeta
Que buscara o belo
De um amor proibido.

Agora, como um andrajo,
Nesse viver bisonho,
Creio que tudo
O que se passa comigo,
São delírios
Ou, apenas, um sonho... .


(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de A a E