ENCRUZILHADAS

Os traumas da vida e as venturas,
As peraltices criança,
cheias de aventuras,
Reconduzem-me ao longíncuo passado...

Nessa reflexão
Vejo fluir um misto de alegria e tristeza,
Mas, nem uma e nem outra posso descartar,
Foram os ingredientes da minha personalidade...

Do início até aqui, tomei vários caminhos,
Parei em muitas escruzilhadas,
Eram as horas de decisão...
Às vezes tive que seguir à contra-mão,
Na iminência de abismos.

Vivi momentos de vitória...
Muitos sonhos trouxeram-me ilusão,
Mas, tive, também, meus momentos de glória...
Às vezes, quem decidia era o meu coração,
Quantas ocasiões cantei os louros da vitória,
Quantas, tive frustração...

Na infância sentia o sopro da felicidade,
Depois, venci as dúvidas da puberdade.
Hoje, adulto, ainda, tenho incertezas
Para identificar as verdades.

Assim, vivo entre o passado e o presente,
Nessa mesclagem de dúvidas...
Mesmo sem saber o porquê
Sinto que sou feliz,
E que é bom viver.

(Tarcisio Costa)

Inicial
Poemas de A a E