FORA DA RAZÃO

Hoje acordei cedinho,
Chegava mansa a luz solar
Ouvia-se o trilar dos passarinhos
Despertou em mim o desejo de amar.
Para receber do meu amor, os seus carinhos.

Ela, com o rosto rosado, dormia...
Suas coxas descobertas, despertavam desejo,
Beijei, carinhosamente, os seus lábios de carmim.
Ela acordou, sensual e, levemente, sorriu para mim.
Tomei-a nos meus braços e recebi dela um beijo.

Ela me abraçou ofegante,
Senti desaparecer da minha alma a razão.
Sua ansiedade me deixava totalmente extasiado
Seu corpo estava quente, tinha cheiro de pecado.
Nesse momento, explodiu em nós a paixão.

Nossos corpos se entrelaçaram
Em impacientes, mas gostosos remexidos.
Vivemos momentos de descontrole e alucinação,
Esquecemos de tudo, até mesmo da emoção.
Foram momentos por nós jamais vividos.

Sentia do seu corpo a maciez e o calor,
Sentia cada vez mais se acelerar o seu coração,
Senti dos seus seios a saliência da tentação,
Nesse ambiente de descontrole e paixão
Atingimos o ápice do amor.

(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de F a J