HOMENAGEM A MULHER

No dia oito de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher.
Nada mais justo e oportuno do que essa homenagem.
Mas, a MULHER é tão significativa para cada um de nós e para
a humanidade como um todo, que deveríamos tratá-la com o amor
e o respeito, numa dimensão que significasse que qualquer
data fosse vista como o seu dia.

Certas expressões remanescentes da época em que a mulher era
totalmente discriminada, devem ser eliminadas do vocabulário,
como sexo frágil e outros que significam inferioridade.

A mulher carrega nos seus ombros a responsabilidade da criação,
da educação e da defesa do ser humano. Ela tem a missão de
procriar, sendo, por isso, o elo que liga o poder divino à
natureza humana. Cada um de nós é filho de Deus, mas para que
essa condição se torne concreta foi-lhe entregue a responsabilidade
de ser o instrumento da procriação e da conseqüente
perpetuação da espécie humana.

Se olharmos o corpo da mulher, veremos nele a síntese da beleza.
A mulher foi projetada para encantar; o seu olhar tem a candura
de uma santa. Ela pode ter o corpo frágil mas tem um espírito
indomável no exercício da sua missão de mãe.

Quanto mais doçura mostra os seus olhos, mais doação, mais coragem,
mais determinação e maior disponibilidade ela tem para o cumprimento
da sua responsabilidade maternal.

Eu perdi a minha mãe há 30 anos. De então, para cá, foram anos
de saudades. Ainda, hoje, fecho os meus olhos e a vejo,
como em um sonho, com aquele sorriso de ternura e de amor;
vejo, também, aquelas lágrimas que rolavam na sua face, nos
momentos das minhas dores ou das minhas dificuldades;
são trinta anos sem o amor materno, sem a sombra de um
anjo real que, com o seu manto de amor, me agasalhava,
me protegia, me transmitia confiança e proteção, porque,
através dela, recebia a força do amor puro, emanado do
poder divino.

Infelizmente, no mundo ocidental, interesses obscuros tentam
transformar às jovens pós-adolescentes em mercadoria,
moldando-as, como se fossem objetos, com a finalidade de expor,
não a sua feminilidade ou a sua beleza física,
mas a sensualidade, o sexo.

O pior! Não há qualquer controle para esse tipo de
comportamento humano. Cada dia que se passa mais se degrada
a figura da jovem, fruto de cultura disseminada e estimulada
pelas os meios de comunicação social e de massas, que, por
um princípio lógico e, porque não, legal, deveriam ser
instrumentos de aprimoramento da nossa sociedade e da nossa
cultura, por se tratarem de, no caso da televisão e do
rádio, concessões do Estado.

A família vive sob constante ameaça de demoronar-se, conseqüência
dessa cultura, conspurcada e viciada dos dias atuais.
Resta, que cada um de nós tenha um papel de apostolado
para a defesa da família e para o seu crescimento e o seu
aprimoramento, para, assim, criarmos uma sociedade justa e
equilibrada.


(Tarcisio Costa)



Inicial

Crônicas