INCONSTÂNCIA

que é a vida, qual a sua finalidade?
Vivemos a resistir a aceitação
Da sua fugacidade.

Por que a sucessão dos dias,
Como as contas de um rosário,
Num ciclo de repetição?

É esse viver de derrotas e conquistas,
Com um sem número de ilusões
Que nos faz sonhar.

Dias de desencontros e encontros,
Numa infindável alternância
De venturas e incertezas.

É como se caminhássemos
Numa estrada desconhecida
Com jardins, planícies e desfiladeiros...

Nesse caminhar há auroras douradas
E penumbras triste dos ocasos
Ou nuvens turvas, ocultando estrelas...

Para a superar os conflitam
do bem e do mal, do prazer e da dor,
Os corações têm imensa reserva de amor.

Mesmo com essa inconstância,
A vida é, por magna prioridade,
A maior dádiva do Criador.

(Tarcisio Costa)

Inicial
Poemas de F a J