LIBERDADE

Quero, no mínimo... sonhar,
Quero romper as convenções,
Extinguir todos os preconceitos,
Quero sentir em mim a liberdade,
Quero nesta vida conhecer a verdade,
Porque me sinto centrado em ilusões...

Mas, quero uma liberdade total,
Sentir das ilhas toda sua solidão,
Quero percorrer os arquipélagos,
Conhecer sua relação com o mar.

Quero conhecer melhor o mar,
O porquê da sua ira e agitação?
Quero em um barquinho à vela
Ser levado sem rumo pelo vento.

Quero mergulhar na profundeza
Ver o que há de bom e de mal,
Na escuridão dos oceanos,
Quero ver de perto o abissal.

Quero numa cáfila, no deserto,
Viajar nas areias, como um beduíno
Ver as incertezas e manhas da miragem.
Quero construir uma tenda num oásis.

Quero num balão, pelo céu voar,
Quero conhecer o destino das nuvens,
Quero nessa liberdade com solidão,
Sentir como se deslocar no ar.

Quero, nas matas penetrar,
Contemplar, do rio a inquietude,
Quero ver o rancor de um alude,
Quero o amor dos bichos contemplar.

Quero ver o desabrochar das flores,
Quero ver a metamorfose do casulo
Quero contar o número de cores,
Que adornam a natureza.

Quero passar a ser um pária,
Integrado, apenas, à natureza,
Quero viver um eterno sonhar
Com todas a sua beleza.

(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de L a O