LOUCURA NA POESIA


A lucura do poeta
Está em querer romper o convencional
m busca de desvendar o transcendental,
Criando, assim, um mundo de fantasia...

São pensamentos sonhados e incoerentes...
Chega a pensar em deitar-se nas nuvens,
Passear e conversar com as estrelas,
Em busca dos mistérios do desconhecido...

Desce ávido sobre a natureza,
Em busca dos oásis de sonhos,
Encontra as ilhas da onde mora a solidão,
Convive com o silêncio e a magia...
Tudo isso é o que chamo de loucura na poesia.

Pensa em desnudar o horizonte,
À procura do outro ládo,
Como se lá fosse a fonte
Das suas ilusões...
E, assim, nessa teimosia,
Mistura e faz da loucura, poesia...

Quer penetrar na tenebrosas matas,
Entre feras e flores...
Deslizar pelos rios, conhecer os desvios feitos pelas águas.

E, assim, no meio dessa confusão,
Procura se salvar, subindo nas serranias,
Tudo isso é a locura do poeta,
Fazendo da vida, poesia.

(Tarcisio Costa)


Inicial
Meus
poemas L a O