MEDO DA SEREIA

Naveguei pelos mares
desertos.

Areias
incomodavam
meus olhos.

Segurei-me
na mão
da sereia
do mar.
Ela sorriu
com o coração
sua fala era um cicio
como o assobio
da brisa.

Um navio chegou
embarquei para o luar.
Lá, não tinha estrelas,
nem mar...

Fiquei ente o céu
e o mar,
lá, não tinha sereia.

Desci no deserto,
Entre o cascalho
e a areia
tinha uma sereia.
Caracas!

Voltei
para o meu interior,
senti calor,
não sei,
talvez da sereia.

Olhei para fora
Vi o sol nascer
está na hora,
vou embora
sem conhecer
o abissal,

Acordei,
o mundo tava parado,
Lembrei da sereia...
Fiquei assustado,
Tive medo.

(Tarcisio Costa)

Inicial
Meus
Poemas de L a O