MIRAGEM


Longe, muito longe,
Não pude divisar aquilo que eu via,
Parecia uma grinalda, que se desfazia,
Tomava forma e, novamente,

Transformava-se em nada...
Apareciam montanhas, mas desapareciam.
No rio, as velas de um lento barco

Transformavam-se em espuma...

Fechei os olhos, em reflexão, vi um oásis,
Abri os olhos era um deserto...

Uma tempestade!
Não, era apenas uma aragem,
Isso é o mundo da ilusão,
Uma miragem!

(Tarcisio Costa)


Inicial
poemas de L a O