MISTÉRIO E MÊDO

Tenho medo
da pressa
dos dias
que passam.
Cada ano
que chega
cada vez
mais veloz...

Não é fácil
aceitar a
certeza de que
a qualquer hora
haveremos de
sucumbirmos
no abismo
do desconhecido...

Nossos olhos,
nosso cérebro,
nossos lábios,
Enfim nosso corpo
serão restos
virulentos
entregue aos
vermes...

Nosso bens pessoais,
nossas vestes
serão destruídas,
as jóias, se houverem,
disputadas,
tais cartídeos
esfomeados...

Em pouco tempo
não seremos,
nem lembrados,
nem dos entes
chamados queridos,
cairemos no abismo
dos esquecidos.

Nossa alma
será submetida
ao julgamento,
e penelizada
pelas nossas
trangressões, no
Purgatório,
se este existir...

Tudo isso acontecerá
depois de uma vida
num mundo
de difícil assimilação
dos princípios
pregados pelos
"apóstolos" do espiritual.

Presencio, confuso,
Um infindável
conflito das crenças,
todas usando
o mesmo Senhor...

Nascem todo dia
seitas que se dizem
bíblicas, a oferecerem
milagres
pagos por dez por cento
do salário...
Uma máfia a usar
o nome de Jesus,
Filho de Deus,
que esteve
entre nós, pobre,
pregando o amor
pela simplicidade.

O que sinto
é que tudo ligado
ao mundo espiritual.
Confundo-me,
foi-me ensinado
que devo acreditar
no que está escrito,
assim sendo,
tudo é uma
questão de fé.

O mais é mistério e medo...


(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de L a O