MOMENTO CONFUSO

Vinha de longe,
do éter, sons inaudíveis
do além,
via-se um ser
vestido de monge,
a se curvar para todos
e dizer amém,
não sei se era noite
ou se era dia,
nem de onde vinha
o encanto
daquela melodia
ou se era um pranto
de uma agonia...
Aquele momento, sim,
nas nuvens, os anjos
chamavam por mim,
eles se escondiam dos arcanjos,
era um momento sem fim,
senti medo, olhei
para uma corredeira,
vi a água
sem um destino definido
senti-me um bobo
e nessa bobeira
senti-me perdido,
mas, tudo não passava
da ilusão,
de um sonho tumultuado,
talvez por ser triste
o meu coração
que enchiam
os meu olhos
de lágrimas de ilusão.

(Tarcisio Costa)

Inicial
Meus
Poemas de L a O