MOMENTO DE SAUDADE II

Tento e não consigo esquecer
Certos momentos que o tempo me furtou.
Às vezes, desconfio que não foi o tempo,
Mas, aquelas nuvens passageiras
Que um dia levaram o meu amor.

Elas sempre aparecem e sempre se vão,
Não sei se é uma coincidência,
Ou um pensar cheio de incoerência,
Mas sempre que olho para elas,
Sinto saudades...

Daí, a causa da minha intuição,
Sei que o que pensa assim
Não é a minha mente,
Mas, o meu coração.

Claro, isso é uma imaginação,
Mas, se pudéssemos materializar as nuvens,
Com certeza, o céu se encheria de saudades.

Tarcísio Ribeiro Costa

Inicial
Meus
Poemas de L a O