NA INFÂNCIA

Na minha infância
via um mundo diferente,
era a visão do olhar de criança...
Lembro de duas velhas mangueiras,
Hoje, transformadas em sonhos e saudades...
Ficavam ao lado da morada do meu passado...
Era entre elas, sempre, via o despertar do sol
nas manhãs sem a tristeza das nuvens...
Delas, ouvia-se o trilar dos passarinhos
saudosos, lembrando os seus ninhos...
Muitas e muitas vezes, de olhos fixos
nos galhos ressequidos, pela idade,
eu olhava para o meu passado...
Via, com tristeza, nessas árvores,
como num espelho, refletidas
as alegrias que inundavam
a minha infância
de pureza
e sonhos.

(Tarcísio Costa)


Inicial
Poemas de L a O