O tempo foi, é verdade, O alcoviteiro dos nossos corações Que, sempre cheios de ansiedade, Viviam em busca do enlace Dos nossos sonhos De amor. Foram momentos de paciência De esperança, de anseio e de calma Mas está entre nós a consequência, Da teimosia das nossas almas. Agora, o que nos une Não são apenas sonhos ou utopias, Mas uma cristalina realidade. Hoje vivo feliz Por te sentir perto de mim, Vem, eu te peço! Permaneçamos semore assim A alimentar esse amor. Vamos despir-nos dos preconceitos, Excluirmos quallquer limite no amor. Quero-te nos meus braços, sem pejos, Quero queimar-me com o teu calor, Que enlouquecido os teu beijos, Quero contigo atingir o Apice do amor.


(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de L a O