NATUREZA

Observa com atenção a natureza
ao teu lado, pela janela do mundo,
vê flores murchas de um jardim moribundo
estrelas, formando no céu um manto de beleza.

Lá distante, os mistérios do horizonte...
Raios de sol entre galhos, refletindo ilusão.
Olhares de caçadores de sonhos e emoção,
disfarçados de pássaros na umidade da fonte!

Pássaros cortando os ares de sorrisos e de tristeza...
Folhas despencam dos galhos, como quem renuncia
ou obedece ao maestro no comando da harmonia
no jogo das belezas dos sons e dos tons da natureza.

E a natureza se enche de encantos e sinergia,
quando borboletas sugam o néctar das flores,
numa relação de carinho, e de troca de amores
para perpetuação da espécie! Quanta magia!

E nós, envoltos numa visão artificialista,
quase sempre integrados à crueza da insensibilidade
não sabemos nos deliciar com o sabor da naturalidade
oferecida de graça, pelo seu criador, à nossa vista!

Mas existe o poeta para preocupar-se com a natureza
Com palavras nascidas, talvez do inconsciente...
elevadas, num ato de solidariedade, á sua mente
para mostrar que o habitat do homem é a beleza.
(Tarcisio Costa)


Inicial
Meus
Poemas de L a O