NOITE INSONE

A noite passou, muitas saudades senti,
Ouvia sempre o ciciar da brisa na janela,
Era como fosse o carinho dos suspiros dela,
Tinha a ilusão de que ela estivesse aqui.

Levantava-me, olhava para o firmamento
Todo pontilhado de estrelas, que beleza!
Imaginava a simetria de tanta grandeza,
Pensava nos astros em movimento!

Vi a lua distante, nascer atrás dos montes,
Olhei para o meu jardim, dormiam as flores,
A penumbra triste escondia as suas cores,
Sentei-me com os olhos fitos no horizonte...

Mergulhei, sem sentir, numa reflexão,
Foram momentos de muita felicidade...
Dominou-me uma profunda tranqüilidade,
Era a presença do amor no coração.

Despertei daquele sonho cheio de ilusão,
Lá, distante, onde fica o horizonte, eu pude ver
Surgirem os primeiros raios, indicando o alvorecer,
Pensei nela, senti a esperança no coração.

Ela foi o meu grande amor...

(Tarcisio Costa)


Inicial
Meus
Poemas de L a O