O TEMPO E O AMOR

Contemplo embevecido o firmamento,
Penso no infinito... O infinito me assusta...
Vejo as estrelas como ninhos de sonhos...
Vejo na lua a esperança do amor,
Olho nas nuvens passageiras,
Minhas ilusões perdidas...

A natureza sofre as suas mutações,
É instável, mas não perde os seus encantos.
Em mim permanecem as mesmas emoções,
Vejo nas velhas árvores já desfolhadas,
Retratos das minhas saudades
de um mundo de ilusões...

Os jardins produzem as mesmas flores,
As rosas permanecem cercadas de espinhos,
Borboletas dão ao ambiente o mesmo colorido
Sinto saudade da ternura e dos teus carinhos,
Lembro do meu passado de amores...

Mas, ainda sinto a brisa me acariciar,
Estão incólumes em mim, os meus sonhos,
Ainda sinto amor, ataca-me, às vezes, a paixão,
Continuo conviver em um mundo de ilusão..
O tempo não destrói o amor.

(Tarcisio Costa)


Inicial
Meus
Poemas de L a O