POR QUÊ III

Tive uma infância na placidez do interior!
Depois, no litoral , vi a vaga revoltada dos mares,
Sempre, no meu viver, fascinaram-me os os luares...
Mas, nada mais saudável, suave e encantador
Do que, nas manhãs, o perfume nos ares
Vindo do etéreo, emanados
Das flores...

Elas, asmanhãs, enfeitam nosos dias
Com as suas flores.

Este poema
É um " três por quatro" da natureza,
Que me encanta com a variedade de cores,
Que enchem os nossos olhos de tanta beleza
E embelezam e dão vida aos nossos dias,
Além de inpirar o poeta para sua poesias...

Diante de tudo isso, por que,
Quase sempre, é ignota a felicidade?
Se somos, nós, protagonista dessa magia
E, mais, somos a obra prima do Criador,
Que nos fez à sua imagem e semelhança,
Numa prova insofismável
Do seu amor.


(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de P a T