QUEM SABE...

Quem sabe...

Se hoje a brisa morena do anoitecer
não venha à minha face acariciar
e palavras de amor ciciar,
prenunciando sonhos de amor!

Quem sabe...

Se nesta noite, nos meus sonhos,
não virás me dizer a expressão
o que mais quero ouvir:
- Eu te amo

Quem sabe...

Se amanhã, ao romper da aurora,
eu não acorde, pensando nos teus carinhos!

Quem sabe...

Se da janela do meu quarto, no amanhecer,
não ouça os passarinhos,
Como se estivessem a comemorar
o meu sonho!

Quem sabe ...

Se o meu sonho
não seja a antevisão de uma realidade!

(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de P a T