SEM QUALQUER INSPIRAÇÃO


Pisei na corda bamba,
era uma noite de muita alegria,
fui dançar, perdi o ritmo do samba.
Com um tambor puxei uma dança marcial,
Assustei o pessoal,
mas não sou do mal.
Entrei em oração,
para salvar a situação,
soltei a corneta, peguei um violino
que só sabia tocar mambo,
Peguei o meu fiorino,
sem alegria.

Caramba!
Aqui só tem bamba,
sou todo sem jeito,
mas tenho peito,
sou cabra macho!
Mas, também, acho
que perdi o rumo da poesia.
Misturou-se alhos e bugalhos,
Isso não é o que eu queria,
Está tudo desconexo,
Vamos, pessoal,
alegria!
Mesmo sem nexo!

(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de P a T