SOLIDÃO II

As minhas saudades têm a tristeza
Das flores pálidas, sufocadas pelos espinhos
Do silêncio frio, de um jardim abandonado,
Do meu viver, sem os teus carinhos.

As minhas saudades, têm a tristeza
De uma manhã de silêncio, sem sol, sem cor,
Do meu amanhecer sem a tua presença...
Sem a certeza do teu amor.

As minhas saudades têm a tristeza,
Da lágrima que, do rosto triste, fica a rolar,
Do meu viver mergulhado na solidão,
Sem poder te amar.

Esse é um viver cheio de saudade,
De uma alma, que hospeda a incerteza,
Em que o desejo de te amar, me traz tristeza
E medo de encarar a realidade.

Se depender somente de mim,
Seria, definitivamente, extinta a palavra solidão...
Sinto-me alquebrado, não suporto uma vida triste, assim,
Sem saber o que sente o teu coração.

(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de P a T