SOU CONTRADIÇÃO


Vive em mim a sombra da contradição.
Às vezes, delicio-me com a alegria do amanhecer...
Embevece-me desabrochar do dia...
O trilar dos passarinhos,
Noutras sinto-me como o crepúsculo...
O morrer do dia,
Quando me invade a desilusão...

Convivem comigo a euforia e a desolação.
Há momento em que perco a
noção de tudo o que é racional...
Às vezes, ajo com a razão,
assusta-me o confronto do bem e do mal.
Sei que em quaisquer dessas circunstâncias,
afeta o meu coração...
Passo horas e horas na obscuridade do passado,
Não sei se é um erro conviver com a saudade
Por causa de amores que o tempo me furtou,
Sinto que, para mim, nada está acabado,
Pode parecer mais uma contradição
Mas é a minha realidade...

A causa principal dessa perene contradição,
É a certeza de uma vida sem amor, sem carinho
A sua falta torna-me um ser inconseqüente
Sinto-me, por tudo tudo isso, perdido
No meu próprio caminho...

(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de P a T