TUA AUSÊNCIA

Quantas vezes eu dormia,
E a tua ausência me acordava.
Eu, pela janela, contemplava o luar,
E via, nos meus sonhos, a tua presença,
Sentia saudades... A lua me fazia sonhar.

Via-te em tudo, sorrindo para mim.
Via-te voando nas nuvens passageiras,
O teu olhar de uma pedinte de carinho
Enternecia as entranhas do amor.
Via-te no céu, entre estrelas...

Sucumbia-me um transe,
Via-me no mundo da inquietude,
Perdia o sentido da realidade...
Aturdido, voltava ao mundo da razão,
Somente encontrava a saudade.

Sonhava que sonhavas comigo,
Era uma mescla de esperança e ilusão,
Ressurgias sobre mim toda sensual,
Sentia-te como estivesses comigo,
Sentia o bater do teu coração.

Foi longo tempo, assim,
Enquanto me maltratou a tua ausência...
Perdeu-se para mim o sentido da razão,
Hoje, ao teu lado, sinto a sensação.
De que o mundo renasceu pra mim.

Não é bom recordar os momentos
Da tua ausência, eram cheios de dor.
Mas, embora me trouxessem sofrimento,
Eles eram a revelação do sentimento
Que nos unia o amor.

(Tarcisio Costa)


Inicial
Poemas de P a T