UM PAI HERÓI

Ah! Meu pai,
Há quanto anos que o tempo nos separa...
Lembro, com saudades daqueles entardeceres,
Sentados no alpendre da casa grande,
A conversarmos amenidades,
Coisas do nosso sertão...

Meu pai, homem bom, muito respeitado,
Era sempre o centro de atração.
Havia muitos sorrisos e gargalhadas,
Tudo era alegria...

Hoje, meu pai, não está mais aqui, Deus o levou,
Mas tenho certeza que ele cumpriu à risca a sua missão...
Ele foi um homem honesto, disciplinado,
Mas de bom coração...

Enquanto aqui rezo por vós, oh meu pai!
Mandai daí a vossa santa benção...
A vossa ausência é uma cruel realidade,
Mas, por serem desígnios do Criador,
Cabe-nos aceitá-los,
Embora com o coração cheio de saudade e de dor...

(Tarcisio Costa)


Inicial
Meus
Poemas 2