VERSOS E REVERSOS

A lucidez do poeta é meio louca e contraditória.

O que vêem os meus olhos
Podem ser flores ou abrolhos,
Tudo me cria confusão,
Penso coisas sem nexo,
Confundo o plano com o convexo,
Mas, levo a vida "numa boa"
Embora me chamem de à toa...
Não sou mais e nem sou menos,
Sou, apenas, um sonhador...
Vivo envolvido com amor,
Convivo com a saudade,
Das coisas, não tenho maldade...
Sinto muita emoção.
É uma "manteiga" meu coração.
Venero os passarinhos,
Espero da brisa os seus carinhos...
Ando sempre em busca da beleza,
Amo com ardor à natureza.
Quero conhecer o horizonte,
Quero beber água na fonte,
Gosto do calor ou do frio,
Por isso, mergulho no rio,
Sem proteção de agasalhos.
Não caminho pelos atalhos...
Gosto de sonhar com o passado,
Para lembrar que fui amado,
Nos meus tempos de criança.
Assim, vivo atrapalhado,
Misturo alho e borralho,
Vira tudo confusão.
O muito eu acho pouco,
Fique certo, não sou louco,
Não suporto nostalgia,
Para acabar com a agonia
Eu tento que desabafar
Escrevendo poesia.

(Tarcisio Costa)


Inicial
Meus
Poemas 2