VIDA CONFUSA

Confiei no teu caminho,
Quebrei a cara.
Vi "cobras e lagartos..."
As madrugadas
Me levavam
Sem rumo...
Tuas manias
Fizeram de mim
"Gato e sapato."
Não suportei mais a fantasia
De me equilibrar na ponte,
Olhando para o monte
Onde o gato mia.
Lá é a fonte
Da orgia.
Não quero mais
Andar de marcha à ré
E nem varrer com vassoura a fé.
Mas, eu não sou nenhum "Mané".
Do passado eu já vim,

Espinhei-me, "engoli sapo".
Cheguei escabreado,
Estou, assim,
"Com a orelha em pé",
Sem muito papo,
Desconfiado
De tudo.
Até de
Mim...

Tarcísio Ribeiro Costa

Inicial
Meus
Poemas 2